19.8.10

Mimos

Apraz-me sempre quando um editor tem o cuidado de informar o leitor sobre a tiragem da edição, os tipos utilizados, o papel eleito e dados afins. Indo além da ficha técnica, estes pormenores são relevantes para quem gosta de livros. Há, porém, ocasiões especiais, em que encontramos verdadeiras surpresas. Eis alguns exemplos:


Direcção Proibida, Nelson de Barros, Edição de Eduardo Faria, 1937

Suicídio – Modo de Usar, Claude Guillon e Yves Le Bonniec, Antígona, 1990


Vende-se, José Pinto Carneiro, Cotovia, 1996

Sem comentários: